8 de mai de 2009

Três poemas para a sexta-feira.

Chamarei-os lampejos, porque foi como aconteceram.

LAMPEJO #01

E é assim, maninha:
a gente pensa numa
coisa bem triste
e outra, muito bonita
— sem sequer se ter
pensado nela —
aparece.


LAMPEJO #02

Olhar-se no espelho
e pensar:
“Taí, boas lembranças”.
E achar que o trapo
agarrado a elas nem
é tão trapo assim:
renderia num brechó.


LAMPEJO #03

Um roquezinho
no café,
um roquezinho
no almoço;
(pra dormir bem,
só o som do telefone).

4 comentários:

DDA Silveira disse...

Lampejos....
Gostei! ;)

Rodrigo Oliveira disse...

#1. sim, impressiona o quão fecunda a tristeza pode ser, não? Precisamos conversar, rapaz. Abraço!

DDA Silveira disse...

Obrigada pelo comentário no blog.
Fico feliz que algum verso possa ter adoçado o minuto de alguém mesmo sendo assim, simples.
Eles são importantes pra mim. Rs...
Abraço Labes-lampejante.

Lou disse...

hoje eu gostei mais number two. vai entender. quem sabe da próxima eu dê uma chance pro number one, já que o number three já foi gostado.

beijo.

será fim de tarde daqui a pouco e veremos os suicidas fazendo fila em cima da ponte do tamarindo para decidir quem pula e quem não levi...