19 de set de 2017

fazer do último suspiro
vendaval
terremoto deste peito
inerte
chorar vendavais guardados
desde a primeira vez que
engoli o choro

isso no futuro quando

não habitarmos juntos
sobre a terra

até lá este voo
de mãos dadas
como o melhor
do cinema americano

: percebemos claramente
a mentira mas ainda é melhor
acreditar o absurdo que está
o preço do cinema hoje em dia.

17 de set de 2017

a Marcelo Pierotti

o poeta carrega palavras nos bolsos
e sobre ombros já que nos braços
carrega o cachorro morto sob

uma chuva que nunca para de cair.
o poeta foi trabalhar com materiais
de construção porque vale

a pena erguer o mundo e o que
importa são vergalhões, fiação elétrica
e canos de pvc: o resto são ideias

e ideias não pagam contas. uma
hora a gente descobre que ideias
rendem poemas e alguma conversa

de sábado à noite. pois que saí da
sessão deste último filme de laís
bodanzky pensando como pode

custar caro esta afetação francesa
estes conflitos de classe média
que fazem fechar a garganta mas

tenho de novo as contas atrasadas
pego dinheiro emprestado de amigos 
para pagar boletos envio livros pelo 

correio e calculo o mês como quem 
acende o último cigarro depois da
meia-noite sabendo que não há mais

onde comprar nem há disposição para
isso nem há paciência para a noite para 
os vultos as luzes dos carros

o poeta foi trabalhar com materiais de
construção com o que realmente importa
já que as ideias são apenas para quem tem

muito tempo disponível.


 
se a guerra não estourar
nas próximas 72 horas então
poderemos dormir tranquilos

enquanto entupimos
o freezer com vegetais saudáveis
lavradores se suicidam

nas campos de fumo
trabalhadores agonizam
junto dos porcos nos

frigoríficos as crianças já
não sonham com as profissões
futuras porque entenderam

que se a guerra não estourar
nas próximas 72 horas
não poderá haver futuro

nem haverá.
voo de andorinha &
desastres aéreos
: a gravidade é que complica
os cálculos despreparados

o buraco no asfalto
a pedra no sapato
tudo acontece sem
aviso

o abstêmio se vangloria
de estar longe da bebida
e comemora sorvendo sem
culpa goles compridos de
enxaguante bucal

: a realidade, querida
a realidade é um diagnóstico.

7 de set de 2017

passar o dia sem atrevimento
(há quanto esperamos dia de
sol em feriado)

as roupas de cama cheiram
a sol enquanto despejo
no ventilador a fumaça

de meu cigarro. há quanto
esperamos pelo sol em dia
de feriado.

o dia transcorre sem acidentes
e por isso não abro o jornal.
o país de anda de ônibus

e foi expulso no primeiro
ponto. não tinha dinheiro
para a passagem.

esperamos a morte com a
tranquilidade de quem vê
que a independência,

a independência é um dia
de sol. há quanto esperamos
dia de sol no feriado.

fazer do último suspiro vendaval terremoto deste peito inerte chorar vendavais guardados desde a primeira vez que engoli o choro iss...