23 de mar de 2016

de repente
a gente lembra
de algum dia
dos 80

(na memória
umas rasuras,
tantas tardes,
tantas ruas;
silhuetas,
quase sempre
silhuetas)

de repente era
90, afinal.

de repente,
não foi nada.

[e a gente fica
besta, estancado
no meio da escada

como se aquilo
de há tantos anos
tivesse passado
semana passada].

Nenhum comentário:

como um menino que sonha com pilhas - substantivo que mal cabe no poema - amarelas e que soltam faíscas que acendam as luzes as engrenagens ...