5 de mai de 2016

o poema
consuma e consome
os anônimos e os
nomes.

o poema reflete
muito pouco
(muito pouco)
o que se espera
apareça no
espelho.

por isso
te aconselho:

não procures
no poema
mais do que haja
nas entrelinhas.

assim evitas desvios
e poupas que se
entorte
o caminho (já) incerto
que caminhas.

Nenhum comentário:

eu sei da umidade em que tu chafurdas e sei dos monstros que estão sobre a cama na hora em que te deitas eu sei que atrás da  porta res...