27 de jul de 2010

Eleitórias.

Toda febre terá sua cura
com antipirético;
Energéticos para salvar-nos
do escuro das ruas.

Toda santa nua terá
o seu manto
e para todo espanto
sobrarão ansiolíticos.

A cada grito ouvido
aparecerá o devido socorro.
A cada sonho ruim,
o calor que convier.

[Para cada choro de homem,
um abraço de mulher.]

2 comentários:

Tiago Ribeiro disse...

Labes, ótimo poema: sonoridade, imagem e pimba: surpesa.

Elaine Cristina disse...

Mesmo sabendo que você nem sempre cumpre suas promessas, ganhou meu voto.

i. a fábrica engoliu homens meu pai meu avô mastigou direitinho 32 vezes mais de 30 anos os restos foram recebidos com festa em almoços de d...