14 de jul de 2010

Poema para a manhã mais fria.

LAMPEJO #28

Será que eu poderia?
Sim!
O que tu achas de?...
É claro!

E nada soaria insensato
a quem se libertou
da negação.

Nenhum comentário:

como um menino que sonha com pilhas - substantivo que mal cabe no poema - amarelas e que soltam faíscas que acendam as luzes as engrenagens ...