11 de nov de 2015

Que o poema
fale por si.
Que os poemas
deem a si mesmos
algum significado.
Que os poemas nos
deixem dormir,
cada um prum lado.
Que os poemas nos
cobrem menos,
andamos tão atarefados.
Que não exijam demasiado,
que tenham em si a leveza
daquele dia em que eu sorria.

Por que poemas?,
volta e meia me perguntam.
(Eu me faço essa pergunta
todo dia).

Nenhum comentário:

[duns inéditos aí] um carimbo exatamente aqui duas assinaturas de testemunhas três vias que serão analisadas por altos funcionários e co...