6 de fev de 2016

paralelamente
aos fatos:
do outro lado
deste espelho
quebrado
escondem-se
verdades,
expandem-se
cidades,
recolhem-se
os cacos.

paralelas não
se cruzam,
é verdade.

pra sair do
outro lado
do mundo,
não basta
cavar um
buraco.

Nenhum comentário:

como um menino que sonha com pilhas - substantivo que mal cabe no poema - amarelas e que soltam faíscas que acendam as luzes as engrenagens ...