21 de jul de 2016

sigo queimando
poemas
que quase ninguém


três ou quatro
leitores
não podem
levar a nada

: não levam
à tevê
; ao encontro
com fátima
; às cozinhas
enguiçadas dos
programas de
culinária

sigo escrevendo
poemas e me
pergunto
: pra quê?

fazer dessa
uma outra vida
e recomeçar
a caminhada

, palavras
, palavras
, poemas

armação
& cilada.

Nenhum comentário:

como um menino que sonha com pilhas - substantivo que mal cabe no poema - amarelas e que soltam faíscas que acendam as luzes as engrenagens ...