6 de fev de 2017

Despertei cedo
como quem se aparta
de um briga.

O dia inteiro pela frente
deve guardar mais insucessos
do que (ainda agora) me acostumo.

Uma semana de férias
ainda para masturbar
autores mortos,

reclamar de abandonos
e desapegos,

tentar vender alguns
livros

e procurar escrever um
poema que não soe como
todos os outros.

Nenhum comentário:

como um menino que sonha com pilhas - substantivo que mal cabe no poema - amarelas e que soltam faíscas que acendam as luzes as engrenagens ...