30 de ago de 2010

História pra boi dormir.

o bom de ser leve é exatamente o peso que não se leva consigo; pula-se daqui ali e o que pesa mesmo é o que se leva nos ombros e que o pouco peso - aquele antes útil - mal consegue aguentar. se eu te dissesse o que se passa aqui dentro talvez que nunca mais insistisses em tentar um contato ou, quando talvez, tentar me conhecer, mas são assim as pessoas, babe, e elas fedem.

é fácil ser um porra louca, eu te explico: basta ter uma decepção amorosa de verdade e mais uma dezena de decepções inventadas que taí: não tens mais que levar a vida tão a sério, tampouco a morte e muito menos ainda isso que se convencionou chamar amor. redigamos, por favor e explicitemos de uma vez por todas: o amor morreu. poetizar? ei-lo morto. se fodeu!

morre-se um pouco, sim. a cada dia, cada vez mais, os anos passam e morre-se mais, pois é. acontece.

e nunca mais se consegue o silêncio, nunca mais que se concentra depois que se apaixonou pela boemia. quando se era mais jovem... quando se era mais jovem ouvia-se tanta gente mais velha cantando na rádio que o que era a vida era daquele jeito e a gente não entendia, não é? fui entender com tristeza o mundo inteiro acordar e a gente dormir, de cazuza, quando o a gente dormir era segunda-feira e eu acordado às cinco da manhã quando precisava de fato acordar às seis, eu entendi com tristeza tudo isso hoje de manhã.

a gente cresce para se reproduzir, compreende? e isso de subjetividade que nos faz broxas e as faz frígidas e nos faz temerosos e neuróticos, o que a gente faz com isso? enfia no cu, de preferência com pitadas de literatura francesa e latinamericana. do século vinte, por favor: faz mais sentido.

cansei das sinapses perdidas e encontradas, dos textos sob influência, da comunicabilidade alcançada a base de alcalóides, tanto eufemismo pra nada. enfim. nunca se diz de fato o que se quer dizer, ainda mais em se tratando de um texto que se julga - escrito por quem é julgado - na tentativa de ser literário.

cansei de mim e de ti. mas me acostumei com isso, então segue-se a lógica da repartição pública e de todo ofício maquinal de merda que se cumpre religiosamente durante a vida inteira até a aposentadoria - e depois dela; nunca te falei que meu pai acorda todos os dias à meia-noite porque esse era o horário em que se jantava no terceiro turno da empresa? acordava. acordou durante quase quarenta anos; foi ao médico e agora toma remédios que o fazem dormir cedo e não acordar nunca mais. mas se o escuto de pé, no escuro, caminhando pra cozinha, quanto orgulho! somos só isso, pai. apenas costume.

cansei de mim e de ti, mas me cansei acostumado, o que quer dizer que não me canso, de fato, embora seja humano e cristão, mais cristão que humano, ter esperança em alguma coisa, e eu tenho: embora nada demais: nunca se permite ir tão fundo e de verdade mais que uma vez.

andar em círculos, sempre. porque sempre será. e não te incomodes de eu não saber teu nome ou confundi-lo com outro. acontece de a gente sempre querer retornar prum conforto que não aceita que tenha terminado, sempre um conforto, até o ventre, num eterno retorno. dá pra imaginar isso numa explicação em três d a la discovery channel, não dá?!

entonces me perdoa se eu confundir teu nome ou te chamar dum nome que nunca havia saído antes da minha boca. de repente a gente pode crer que, se pensar bem forte, vai haver novamente conforto. e de repente a gente pode perceber que o conforto pra onde se quer voltar nunca houve, a gente é que imaginou. e tudo não passou de história pra boi dormir.




5 comentários:

Rodrigo Oliveira disse...

Grandes passagens, meu rapaz! O acordar à meia-noite remexeu aqui. Como os primeiros parágrafos. E se história pra boi dormir, nada mais adequado. Que resta senão nós bois dormentes, ruminando os próprios sonhos? Sabia que boi tem mais de um estômago? É preciso estômago pra pastar sonhos... A quem pasta sonho, o melhor que se pode esperar, é ao menos cagar poesia.

Ezequiel disse...

Asique vos Brasilero de mierda te vas a venir a juntar con nosotros a nuestro pais? A caso no sabes que estamos totalmente cansados de que la mierda como vos venga a nuestro puto pais?
Espero no encontrarte nunca gil porque te mato, lo entendiste pelotudito de mierda?
El infeliz que lucha con las palabras, eso es de putos como vos y como todo puto debes tener ya el culo roto y si no es asi te lo voy a romper yo pero a patas ok?
A por cierto muy lindas las mierdas que escribis

Labes disse...

y no dejas ni tu email para que te conteste, hermano querido?! es la mayor diferenza entre nosotros, creo: quieres romper mi culo a patas y yo no quiero verte para no morrir de pena de un varón (creo que inteligente) que viene a molestarme con sus enfermedades. no tengo ganas de conocerte, te quedes tranquilo. siempre serás bienvenido a brasil: nosotros no cansamos de ustedes! y gracias por leerme: es siempre bueno tener nuevos lectores. abrazo!

Ezequiel disse...

No gastaria ni 1 segundo de mi vida en leer semejantes pelotudeces que escribis ;)
Me parece que solo vos te crees muy inteligente y te haces el intelectual cuando por dentro sos semejante hijo de puta, porque una persona inteligente prevee las cosas, mide cada accion que toma y vos, pendejo, te importa un carajo hacer mierda la vida de otras personas. Pensaste que ibas a llegar muy lejos? pensaste que eras demasiado vivo? la proxima vez fijate las cosas que haces, y si ahora tenes el corazon roto porque pensaste que te habias enamorado, jodete por pelotudo, las cosas se hacen de una y de frente, no a las escondidas. Asique tus lindas palabras bien que te las podes meter en el orto si las vas a usar para arruinar los sentimientos de otras personas.

Labes disse...

no sé porque te contesto todavía, porque está claro que - mira, hasta ahora no tenía que decirte nada, pero - sos un pibe de mierda de cuantos años? 16? enfermito, escuchame: nada se hice a las oscuras, como propones. creo, si, que el peor ciego es lo que no quiere ver. entonces asi: si quieres matarme, estoy esperandote acá; si quieres tornarte hombre, es un buen momento o si quieres seguir molestando a la gente, puedes seguir, como lo verdadero pibe de mierda que es.

um inventário com todos os mortos inclusive aquele jovem velado pelo pai de barba muito branca na sala de casa eu disse a carminha: morreu o...