3 de out de 2016

Aceitemos nossa pequenez disposta no eterno terror de estarmos diante de tudo isto: o futuro, o amor, a morte e as consequências de seres homem e acordares todos os dias de manhã para seres esposo, noivo, amante, filho e depósito virtual de trivialidades e coisas pequenas, confissões e promessas, glórias e apuros - por que não lágrimas? Se aceitas, não fica mais fácil, nem mais leve, é certo - mas podes conseguir pagar no cartão de crédito aquela viagem que prometes a tua amada para a tão sonhada lua-de-mel.

Nenhum comentário:

eu sei da umidade em que tu chafurdas e sei dos monstros que estão sobre a cama na hora em que te deitas eu sei que atrás da  porta res...