6 de fev de 2017

Que estamos enlouquecendo
já não há novidade senão
que tudo acontece
muito lentamente

: a surdez seletiva
tornou-se escudo
e já não ouvimos
o óbvio, os sussurros

já não ouvimos
quando chamam nosso
nome como terá sido
por aquela mulher, mãe ou não,
com uns olhos repletos
de amor e cuidado

: já não somos
mais que meninos
perdidos num filme de
Spielberg dos anos oitenta

; mesmo que pouco ou
quase nada tenhamos
vivido dos oitenta,
mas que importa?

falta o passo para o salto
final,
falta o passo para fora do
cadafalso,
falta o passo para sair
daqui
e faltam o pés para dar este
passo

: se à noite tememos
ir ao banheiro é por causa
do monstro que vive dentro
dentro do espelho
que surge
violento e certeiro
sempre que
acendemos a luz.

enlouquecemos
pouco a pouco
mais um
pouco já nada
perceberemos
e estas serão
para sempre
indefinidamente
horas iguais.

Nenhum comentário:

será fim de tarde daqui a pouco e veremos os suicidas fazendo fila em cima da ponte do tamarindo para decidir quem pula e quem não levi...